Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Servidores e estudantes do Ifap podem propor projetos de "Economia 4.0"

Publicado: Quarta, 29 de Julho de 2020, 13h16

Nove propostas serão selecionadas internamente para concorrer na chamada pública aberta em toda a Rede Federal para promover o empreendedorismo inovador  

 

O Instituto Federal do Amapá (Ifap), por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Proeppi), vai selecionar nove propostas de servidores e estudantes da instituição para concorrerem na chamada pública de projetos voltados à promoção do empreendedorismo inovador com foco na "Economia 4.0", associados ao ensino, pesquisa e extensão. A chamada foi aberta pelo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) e prevê a seleção de até 60 projetos de todas as autarquias da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Rede Federal). Internamente, o Ifap vai selecionar as propostas conforme previsto no Edital n° 6/2020/Proeppi/Ifap. As inscrições já foram iniciadas e devem ser feitas até 11 de agosto. Para saber mais, clique aqui.
 
O edital de seleção interna não disponibilizará recursos financeiros e a seleção não garante que a proposta será aprovada na chamada nacional. As equipes executoras dos projetos deverão ser constituídas por servidores efetivos e estudantes regularmente matriculados nos cursos do Ifap. Cada equipe deve ter um coordenador, que deverá ser um servidor efetivo da instituição, e pelo menos dois estudantes de curso técnico.
 
Cabe ao coordenador submeter o projeto, somente um por servidor, seguindo o modelo apresentado no edital, bem como deverá anexar o próprio currículo lattes e os históricos escolares dos estudantes participantes. As inscrições das propostas serão realizadas via e-mail (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.) e todos os documentos solicitados deverão ser enviados exclusivamente em formato PDF.
 
 
O prazo para a execução dos projetos é de 24 meses. Os recursos financeiros serão oriundos da Secretaria de Educação Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação (MEC), com gestão administrativa e operacional pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia (Facto). Os recursos financeiros serão destinados à cobertura de despesas com infraestrutura de pesquisa e ao pagamento de bolsas mensais aos coordenadores (R$ 1.800) e aos estudantes de curso de nível superior (R$ 400) e de nível médio (R$ 161).
 
Economia 4.0
 
O objetivo da chamada pública lançada nacionalmente é apoiar o desenvolvimento de projetos de empreendedorismo inovador relacionados à “Economia 4.0”, nas áreas de agricultura, indústria e serviços, promovendo nas unidades dos institutos federais a pesquisa e a extensão tecnológica, com o surgimento de novos empreendimentos. Também espera-se estimular a participação de servidores e estudantes na criação de empreendimentos baseados em conhecimento científico e tecnológico, bem como desenvolver inovações baseadas em tecnologias digitais e no uso intensivo de dados e no estabelecimento de ambientes favoráveis à geração de novos negócios, por meio de ações de pré-incubação e incubação de empreendimentos e de inovações de impacto regional e social.
 
De acordo com chamada pública, empreendedorismo inovador é o processo de criação de negócios com foco no desenvolvimento de novas soluções tecnológicas (produto, processo, serviço ou modelo de negócio) alinhadas às demandas da “Economia 4.0”, englobando atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I). “Economia 4.0” é entendida como a transformação do padrão da atividade econômica, baseada na introdução, desenvolvimento e difusão das tecnologias digitais, na automação e no uso intensivo de dados, que impacta transversalmente os três setores base da Economia.
 
Como “Agricultura 4.0”, o edital afirma que se trata da transformação do padrão da atividade agrícola em razão da introdução, desenvolvimento e difusão das tecnologias digitais, da automação e do uso intensivo de dados, promovendo maior eficiência e aumento na produtividade agrícola. Já “Indústria 4.0” é a transformação do padrão da atividade industrial em razão da introdução, desenvolvimento e difusão das tecnologias digitais, da automação e do uso intensivo de dados, promovendo maior eficiência e aumento na produtividade dos processos industriais. Já “Serviços 4.0” seria a transformação no padrão da atividade de serviços em razão da introdução, desenvolvimento e difusão das tecnologias digitais, da automação e do uso intensivo de dados, impactando o perfil e a forma como os serviços são oferecidos e entregues e aumentando a produtividade em seus diversos segmentos.
 
 
Por Suely Leitão, jornalista da Reitoria
 
Diretoria de Informação, Comunicação e Eventos - Dice
Instituto Federal do Amapá (Ifap)
E-mail: 
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Twitter: @ifap_oficial
Facebook:/institutofederaldoamapa
 
registrado em:
Fim do conteúdo da página